Sardoal: Posto de Atendimento do IEFP arranca quinta-feira. Protocolo já foi assinado

Concelhos 2020-02-18

A Loja do Cidadão de Sardoal, situada no centro da vila (na rua 5 de outubro), vai passar a ter serviço de atendimento do Instituto do Emprego e Formação Profissional já a partir da próxima quinta-feira, dia 20 de fevereiro.

O Protocolo entre o Município de Sardoal e o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), foi aprovado por unanimidade em reunião de Câmara no dia 12 de fevereiro e assinado esta terça-feira, dia 18, na Loja do Cidadão em Sardoal.

O Protocolo assegura a instalação e o funcionamento de um Posto de Atendimento do IEFP na Loja do Cidadão de Sardoal. O serviço será prestado por um técnico, todas as quintas-feiras de manhã, no Balcão Multisserviços, evitando, deste modo, que a população do Concelho se tenha que deslocar para ter acesso aos serviços do IEFP.

Na cerimónia de assinatura, o presidente da Câmara de Sardoal falou de “um dia especialmente muito importante parta nós”.

“Manter uma oferta de qualidade e de proximidade para todos os sardoalenses” é o objetivo, começou por dizer Miguel Borges que explicou que, hoje em dia, “pensamos muito em global e em regional mas não podemos deixar de oferecer os serviços àqueles que têm menores possibilidades de se deslocarem a outras zonas do país, ou mesmo aqui na nossa região”.

O presidente acrescentou que este modelo já foi encontrada há alguns anos, “um modelo partilhado num espaço multisserviços e é por aqui que vamos querer continuar”. Miguel Borges deu ainda conta que “a possibilidade de oferta do nosso Espaço Multisserviços e da nossa Loja do Cidadão está quase esgotada. A quantidade de serviços que aqui temos é realmente muito boa, comparada com o que tínhamos”.

A questão do interior continua a fazer parte do discurso do autarca que voltou a reafirmar que “não podemos, de forma nenhuma, abandonar o chamado interior. Nem queremos”. Miguel Borges defendeu que “o nosso interior tem qualidade. Temos trabalho todos – Câmaras Municipais e sucessivos Governos – o melhor que podemos para valorizar o interior, sendo certo que há muito mais para fazer. E hoje temos no nosso interior um conjunto de equipamentos, por exemplo, culturais, sociais e desportivos com a mesma qualidade que há nos grandes centros. Só que nós temos que valorizar aquilo que há no interior e não há nos grandes centros: a disponibilidade para usufruir de todos esses equipamentos e um atendimento com qualidade ímpar que não tem nada a ver com aquilo que existe nos grandes centros”, enumerou.

“Temos tudo o que têm os grandes centros mas temos uma coisa muito boa que os grandes centros não têm: qualidade de vida. E é essa qualidade de vida que queremos oferecer”, concluiu Miguel Borges.

Por parte do Instituto de Emprego e Formação Profissional esteve a delegada regional de Lisboa e Vale do Tejo do Instituto de Emprego e Formação Profissional, Isabel Henriques.

“O Instituto de Emprego tem uma estrutura descentralizada. Nós tentamos, através dos Centros de Emprego e dos Centros de Formação, chegar o mais perto possível das populações”, disse.

Isabel Henriques comentou que, “na região de Lisboa e Vale do Tejo temos 22 serviços de emprego e nove serviços de formação. Mas acontece que os sítios que estão mais longínquos, as pessoas ainda têm muitas dificuldades para chegar a alguns serviços. O instituto de Emprego sempre esteve disponível para, junto dos autarcas, conseguirmos estar mais próximos das populações”.

Quanto ao tipo de atendimento que vai ser prestado em Sardoal, “é um serviço que consideramos de proximidade e que dá respostas às pessoas que, de outro modo, poderiam não conseguir sequer chegar aos nossos serviços”.

Quanto aos números no concelho, a delegada regional revelou que existem 139 inscritos. Um número que poderá ser bastante inferior ao de outros concelhos mas, segundo Isabel Henriques, “quando existe um desempregado, já é demasiado. E destas 139 pessoas, 60% são mulheres. Também no universo das 139 pessoas, 57% têm o 9º ano ou menos, o que lhes dificulta muito a reintegração no mercado de trabalho. Também é curioso saber que neste grupo de pessoas, 90% estão à procura de novo emprego”.

“É este o universo que teremos, em conjunto, de trabalhar e encontrar novas respostas e nós descansaremos quando eu um dia puder vir aqui e dizer que temos que acabar com esta nossa parceria porque não temos aqui cidadãos desempregados”, concluiu Isabel Henriques.

O serviço do IEFP começa então a funcionar esta quinta-feira de manhã na Loja do Cidadão, em Sardoal.

Patrícia Seixas