Pesquisar notícia
quarta,
22 set 2021
PUB
Concelhos

PS pede solução para ponte sobre o Tejo entre a Chamusca e a Golegã

13/01/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Os deputados do PS eleitos por Santarém apresentaram quarta-feira um projeto de resolução que recomenda ao Governo “medidas urgentes” na travessia do rio Tejo entre a Chamusca e a Golegã.

A recomendação, enviada hoje à Lusa, refere a importância “crucial” da travessia viária do rio Tejo “para o desenvolvimento e sustentabilidade do distrito de Santarém” e sublinha as “dificuldades diárias” sentidas na ponte João Joaquim Isidro dos Reis, designada por “Ponte da Chamusca”, situada na Estrada Nacional 243, entre os concelhos da Chamusca e da Golegã.

Inaugurada em 1909, a ponte sofreu obras de requalificação em 2013 que, por motivos de segurança, obrigaram à diminuição da dimensão da faixa de rodagem, agravando as dificuldades diárias de circulação, sublinham os deputados Hugo Costa, António Gameiro, Idália Serrão e Luís Testa.

“Esta situação leva a que os municípios da Chamusca e da Golegã reivindiquem uma solução viável para ultrapassar os referidos constrangimentos que causam transtornos tanto a nível económico como de qualidade de vida e de proteção civil para as populações”, referem.

Os deputados lembram que esta zona da Lezíria do Tejo é “predominantemente agrícola”, mas possui “um conjunto de indústrias relevantes”, frisando o facto de se situar no concelho da Chamusca o Eco Parque do Relvão, “um complexo ambiental e de tratamento de resíduos, que é o mais relevante a nível nacional”.

A recomendação pede que se pondere “uma nova solução de longo prazo para os constrangimentos sentidos naquela via”, mas apela a soluções no curto-prazo, como a entrada “urgente” em funcionamento da semaforização da ponte, projetada desde 2013.

No início de dezembro, os presidentes das Câmaras da Chamusca e da Golegã anunciaram que iriam “reforçar” junto do Ministério do Planeamento e Infraestruturas a necessidade de uma nova ponte sobre o Tejo, já que a atual “estrangula o trânsito e o desenvolvimento económico de toda a região”, ao mesmo tempo que pediam soluções de curto prazo, como a semaforização.

A tomada de posição de Paulo Queimado (Chamusca) e Rui Medinas (Golegã), ambos eleitos pelo PS, surgiu na sequência de uma reunião com comandantes da GNR e responsáveis regionais da Infraestruturas de Portugal (IP) para procurar uma “solução viável para os constrangimentos” causados diariamente pelas dificuldades de travessia da atual ponte.

Lusa