Mação recebe APHELEIA 2017

Concelhos 2017-03-28

Mação vai receber o Programa Intensivo Apheleia 2017 entre 29 de março e 7 de abril. Este ano o tema é "Educação, formação e comunicação na gestão cultural das paisagens".

O seminário internacional decorre no Auditório do Centro Cultural Elvino Pereira, sendo que cada dia tem um tema geral dividido em vários debates, conferências, mesas redondas e visitas temáticas.

A iniciativa reúne mais de uma centena de especialistas de diversos países europeus que irão discutir processos aplicados e modelos teóricos sobre os conceitos de sustentabilidade, educação, formação e comunicação (dia 29), a importância da ciência, do conhecimento e do património para a sustentabilidade (dia 30), como o conhecimento era produzido e disseminado nas sociedades do passado (dia 31) e como é que hoje isso se processo a nível global (dia 1 de abril) e em diferentes contextos regionais (dias 2 e 3).

Quais as orientações fundamentais que devem guiar novas estratégias de formação orientada para a resiliência e governança dos territórios (dia 4, onde se farão recomendações concretas para a Conferência Mundial das Humanidades) e que exemplos se podem já identificar em diversos pontos do planeta (dias 5, 6 e 7), são outros módulos do seminário intensivo.

Na quarta-feira, dia 29, será apresentada a obra “Sustentabilidade e Matrizes Socioculturais”, com prefácio da Diretora-Geral Adjunta da UNESCO, Nada Al-Nashif. Trata-se de uma obra em dois volumes, reunindo 17 textos orientadores e 51 estudos aplicados, desenvolvidos nos cinco continentes, que resulta de um Seminário e de investigação desenvolvida em 2016. 

Em declarações à agência Lusa, Luíz Ooterbeek, do IPT, disse que este seminário tem como tema "a educação, a formação e a sustentabilidade dos territórios nas sociedades contemporâneas, de modo a pensar como garantir e assegurar maior resiliência e competitividade, a partir de um modelo de gestão cultural integrado".

Outros objetivos são "oferecer aos formandos um contexto prático de imersão territorial", que é o Médio Tejo, e "preparar documentos de reflexão para o ensino superior, a Comissão Europeia e a UNESCO, sobre como estruturar a dimensão dos dilemas no planeamento territorial".

Segundo Oosterbeek, em Mação "vão estar 45 especialistas de todo o mundo e 55 estudantes de mestrado e doutoramento" durante dez dias intensivos, a "interagir, pensar, analisar e discutir" como "reorganizar as matrizes socioculturais nos territórios e como integrar as dimensões de educação, formação e comunicação”.

A iniciativa reúne mais de uma centena de especialistas de diversos países europeus, Ásia, Brasil e Colômbia, entre outros.

Na quarta-feira, dia 29, será apresentada a obra "Sustentabilidade e Matrizes Socioculturais", com prefácio da diretora-geral adjunta da UNESCO, Nada Al-Nashif, que reúne 17 textos orientadores e 51 estudos desenvolvidos nos cinco continentes.

"Tendo já ultrapassado o objetivo de formação nos dois primeiros anos, e com um impacto muito grande na Europa, esta parceria levou também à criação de projetos aplicados noutros continentes, com especial destaque para a América latina, onde decorrem ações concretas de ordenamento territorial com esta abordagem, e onde o tema central da Conferência das Humanidades nesse continente foi precisamente esse", destacou Luíz Oosterbeek.

O projeto APHELEIA - Gestão Cultural Integrada do Território, envolve desde a sua origem, em 2014, oito instituições de ensino superior e nove outras entidades de sete países da União Europeia, a que se associaram outras universidades e a UNESCO.

Os temas genéricos são:

30 de março - Conhecimento, Entendimento, Herança e Sustentabilidade

31 de março – Produção e utilização do conhecimento em sociedades passadas

1 de abril – A Aprendizagem além das escolas

2 de abril – Diferentes regiões, diferentes abordagens de educação, formação e comunicação.

3 de abril – Herança, estratégias de qualidade e paisagem

4 de abril – Outreach - uma palavra-chave para definir uma nova agenda para as Humanidades a nível global, no ano da Conferência Mundial de Humanidades

5, 6 e 7 de abril – Conclusões e recomendações coletivas do Apheleia; apresentação de trabalhos dos alunos do Mestrado e Doutoramento em Arqueologia Pré-Histórica a Arte Rupestre

C/Lusa