Mação: Filarmónica União Maçaense comemora Festa do Senhor das Encruzilhadas

Concelhos 2020-01-27

A Sociedade Filarmónica União Maçaense (SFUM) vai realizar a já tradicional Festa do Senhor das Encruzilhadas. A iniciativa terá lugar no próximo fim de semana, 1 e 2 de fevereiro.

O Dia do Patrono é sempre uma data especial para a SFUM e, para além das habituais cerimónias religiosas, este ano a Banda vai efetuar um concerto comemorativo dos 158 anos da Associação. Vai ter lugar no sábado, dia 1, pelas 21H30, no Cineteatro de Mação e contará com a atuação da Banda Filarmónica (Concerto com projeção de obras especialmente selecionadas do artista maçaense Carlos Saramago), da Funfarra, da Escola de Música, de Grupos de ensemble, do Grupo Coral e uma Secção de variedades com Francisca Correia e outros convidados.

No domingo, dia 2 de fevereiro, às 11h00 realiza-se o desfile da Banda da SFUM pelas ruas da vila de Mação até à Igreja matriz, às 11h30, a Eucaristia na Igreja Matriz, com a participação de músicos da SFUM e de Alunos de Formação Musical da Universidade Sénior, seguida da tradicional Procissão do Senhor das Encruzilhadas até ao Nicho, pelas 12h30.

O almoço convívio é no restaurante Avenida e as inscrições estão abertas para quem queira juntar-se a este momento (Tel 966740132 / 962496292).

A história do Senhor das Encruzilhadas, enquanto Patrono da Sociedade Filarmónica União Maçaense, remonta a 1950 quando Jaime Reis, o então Mestre da Banda, e alguns músicos (João Mendes, Manuel de Jesus Martins, João Nunes Moleiro, Pedro de Matos Alexandre e outros) decidiram recuperar o Nicho degradado, que se situava nas proximidades do cemitério da vila de Mação.

Empenhados nesta missão, compraram uma imagem nova, uma vez que a outra estava partida e decidiram compor um Hino para a Banda: Jaime Reis compôs a música e João Mendes escreveu os versos. E foi assim que o Senhor das Encruzilhadas passou a ser o patrono da SFUM.

Esta festa decorria, inicialmente, no mês de novembro com duas procissões: uma no sábado à noite para a Igreja Matriz e outra, no domingo, após a missa, para o Nicho. E assim se manteve durante largos anos até que, depois de um interregno, passou a realizar-se no último domingo de janeiro com a procissão da Igreja Matriz para o Nicho.

Atualmente, a Festa do Senhor das Encruzilhadas celebra-se no primeiro domingo de fevereiro. O convívio depois da procissão surgiu na década de oitenta. Entre 1993 e 1998 não se realizou, tendo sido retomado em 1999, com a Direção na altura presidida por José Costa e assim se tem mantido até à data.