Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Concelhos

Mação: Entrada do Museu de Arte Pré-Histórica vai ser remodelada

24/07/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara Municipal de Mação vai proceder à remodelação do piso zero do Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo, num investimento de cerca de 200 mil euros.

O projeto de arquitetura foi ontem aprovado, por unanimidade, na reunião do executivo camarário.

No final de sessão, Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal, disse que a remodelação daquele espaço surge devido a um conjunto de problemas estruturais, nomeadamente ao nível das acessibilidades para pessoas com dificuldade de mobilidade e devido à presença de humidades uma vez que o edifício está contiguo às piscinas municipais e aos sanitários públicos.

O presidente avançou que a Câmara quer tonar aquele espaço num local de acolhimento a exposições temporárias, sobretudo, ligadas à temática da arte rupestre e da pré-história, com um sistema de áudio e vídeo, de modo a tonar o espaço “mais atrativo”. O Município vai ainda intervir ao longo de toda a fachada do edifício, por forma a torná-lo “mais atrativo e para que se possa perceber melhor que aquele é um espaço que vale a pena visitar”.

Projeto de arquitetura foi aprovado, por unanimidade, na reunião do executivo camarário

“Queremos dotar o museu das melhores condições para termos ali uma âncora e uma alavanca da área cultural do nosso concelho”, salientou o autarca maçaense.

O piso zero, daquele equipamento cultural, tem estado encerrado ao público. A situação já levou à diminuição do número de visitantes, no entanto o projeto educativo existente naquele espaço continua bem dinâmico segundo avançou o autarca: “O facto de não termos algo atrativo à entrada [do museu], como uma exposição temporária, levou à diminuição do número de visitantes. Contudo, no que diz respeito à conceção do museu, que mais do que um museu é um centro de estudos e um projeto educativo, a esse nível as coisas mantém-se perfeitamente estabilizadas”, garantiu.

O Município vai candidatar a obra a fundos comunitários, mas caso a mesma não seja contemplada, Vasco Estrela já garantiu que a empreitada avançará com investimento municipal, dentro de 5/6 meses.  

“Já algum tempo que estávamos a pensar nesta intervenção e agora estão reunidas as condições para o fazer”, finalizou.

O Museu de Arte Pré-Histórica e do Sagrado no Vale do Tejo é uma construção dos anos 60, tem cerca de 50 anos de existência.