Pesquisar notícia
segunda,
20 set 2021
PUB
Concelhos

Mação: Abastecimento de água e saneamento de Ortiga representam perto de 1,5 ME

24/01/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Mação acolheu hoje a assinatura do contrato da empreitada de “Beneficiação dos Sistemas Autónomos para a garantia da qualidade da água” em Ortiga, Mação.

O evento contou com a presença de Carlos Martins, Secretário de Estado do Ambiente, Vasco Estrela, presidente da Câmara Municipal de Mação e José Manuel Sardinha, presidente da Águas do Vale do Tejo, empresa responsável pela intervenção.

A empreitada, adjudicada por 640 mil euros, pretende assegurar a reabilitação do sistema de abastecimento de água potável a Ortiga, a partir da remodelação geral  das infraestruturas existentes, em concreto das condutas adutoras e reservatórios.

Outro momento que marcou a tarde em Mação, foi o pré-arranque da ETAR de Ortiga. Uma intervenção também da responsabilidade da Águas do Vale do Tejo, que representou um investimento de cerca de 594 mil euros.

ETAR de Ortiga

“Hoje é um dia importante, que marcará o início da construção de mais um investimento da empresa Águas do Vale do Tejo no concelho de Mação para a melhoria da qualidade da água na freguesia de Ortiga e também marcará o início do pré-arranque da sua ETAR”, começou por dizer o presidente da Câmara.

Vasco Estrela referiu que se tratam de “dois investimentos com significado, que no seu conjunto chegam perto de 1,5 ME e que é o concretizar daquilo que está previsto no contrato de concessão estabelecido entre o Município e a Águas do Vale do Tejo”.

O autarca maçaense lembrou que desde 2010, a Águas do Vale do Tejo “já investiu no concelho perto de 8ME”, sendo este “um valor significativo, com importância e que demonstra as necessidades que o concelho de Mação tem no abastecimento de água e no saneamento”.

Contudo, o presidente recordou que ao longo destes anos, os munícipes de Mação “já contribuíram em termos líquidos para esta empresa com um valor superior a 4ME”.

Vasco Estrela salientou ainda que “há muito a fazer no concelho, nomeadamente, nas infraestruturas ligadas ao saneamento”. “Sei que há boa vontade por parte da empresa e que no curto espaço de tempo vai ser possível resolver estas situações, que carecem de uma resolução rápida, porque muitas delas em termos ambientais estão a chegar a uma situação insustentável, em concreto no Carvoeiro e em Envendos”, fez notar o responsável.

O autarca disse ser necessário “chegar a um entendimento relativamente à valorização das infraestruturas do Município, que desde 2010 estão à disposição” da Águas do Vale do Tejo.

“De facto, o Município de Mação é credor de algumas verbas com algum significado e penso que com razoabilidade e bom senso havemos de chegar a um entendimento”, afirmou.

Vasco Estrela

Por último, na sua intervenção, Vasco Estrela fez referência à empresa intermunicipal, que vai nascer no seio da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo e que se destina à gestão das águas, saneamento e resíduos sólidos, como a “única e a melhor solução” para o concelho de Mação.

O autarca salientou que “a câmara tem ao seu encargo cerca de 60 sistemas autónomos” o que “é ingerível”. 

“Está previsto na proposta, um investimento extraordinariamente importante no nosso concelho, um valor superior a 15 ME, que ajudará a resolver os inúmeros problemas que ainda temos”, avançou Vasco Estrela, lembrando que “o Município de Mação tem um défice anual de cerca de 500 mil euros em todos os sistemas”.

De seguida, foi a vez de José Manuel Sardinha, presidente da Água do Vale do Tejo, recordar aos presentes que a empresa já investiu cerca de “8 ME no abastecimento neste território”. Afirmou tratar-se “de muito dinheiro, mas é o dinheiro necessário e suficiente para que os habitantes deste território tenham água de qualidade, em quantidade e em permanência como qualquer outro português, em qualquer território nacional”.

“Hoje , temos aqui dois eventos importantes, um na área do abastecimento e outro na área do saneamento”, referiu, dando conta que na área do abastecimento em Ortiga está prevista a construção de “mais de 5 km de condutas de abastecimento, onde vamos colocar mais 2 reservatórios de água e onde vamos requalificar mais um reservatório já existente. Uma aposta contínua na requalificação das infraestruturas públicas”.

Já no que diz respeito à área do saneamento, José Manuel Sardinha disse que a nova ETAR de Ortiga “vai permitir desativar fossas sépticas que existem e que têm gerado alguns problemas”.

José Manuel Sardinha

Por fim, o responsável falou do futuro e anunciou um investimento de 1,8 ME nas localidades de Carvoeiro, Envendos e Aboboreira ao nível das águas e saneamentos.

Reportando-se aos investimentos anunciados para o concelho de Mação, Carlos Martins, Secretário de Estado do Ambiente, disse que são um estímulo “para que as populações possam enfrentar o futuro com tranquilidade e que aqui se possam fixar mais empresas. E que as pessoas vivam no interior sem a preocupação com os serviços públicos de primeira geração”.

“A ETAR que agora já está no seu pré-arranque e que dentro de 3 – 4 meses entrará em operação regular, vai permitir dar maior qualidade ao tratamento dos efluentes e, portanto, ser mais um contributo para aquilo que foi uma obra coletiva, que foi a grande missão que tivemos com a despoluição do rio Tejo”, vincou o governante.

“A outra intervenção, irá melhorar significativamente a qualidade da água e criar maior capacidade de reserva, permitindo que numa situação crítica, que pode ocorrer, haja reserva suficiente com qualidade e quantidade no abastecimento de água às populações que vão ser beneficiadas”, acrescentou.

Carlos Martins recordou que “Portugal está empenhado em criar condições para ganhar maior flexibilidade de gestão da água”.  O objetivo é corresponder “às alterações climáticas, que nos deixam grandes preocupações, com períodos de seca mais longos e que são cada vez mais frequentes. E por isso, todas estas infraestruturas são aquilo que poderemos fazer para minimizar estes efeitos”.

Carlos Martins

O tema do rio Tejo também marcou as intervenções das personalidades presentes. Foi consensual que o rio melhorou em termos da sua “qualidade” no último ano. Vasco Estrela chegou mesmo a agradecer “o trabalho e a determinação do Governo na questão dos problemas do Tejo”.

À margem da cerimónia, o Secretário de Estado disse estar  “muito grato em que haja uma opinião generalizada de que o rio melhorou de uma forma muito significativa a sua qualidade”.

“O rio pode agora alavancar um conjunto de atividades económicas e agora o que queremos é manter a qualidade que conseguimos atingir. E para isso temos investido fortemente na monotorização através de sensores, quer de poluição, quer do caudal, ao longo de todo o rio Tejo”.

Carlos Martins avançou que ainda esta semana, saiu em Diário da República “a contratação de cinco guardas rio para este projeto, que permitirão fiscalizar de uma forma mais proactiva, em proximidade e em continuidade o rio durante 365 dias do ano”.

“Este é um trabalho para continuar sempre. Por um lado, temos de sensibilizar os nossos cidadãos que é do nosso comportamento e do comportamento das empresas, que podemos assegurar o futuro. Por outro lado, já que conseguimos fazer este esforço, é desejável que este trabalho, tão meritório, tenha continuidade”, finalizou.

Joana Margarida Carvalho