Pesquisar notícia
terça,
28 set 2021
PUB
Concelhos

Constância: Tubagem de ligação à ETAR do Caima vai ser substituída

8/09/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Município de Constância informa que se vai proceder à substituição da atual tubagem do emissário de ligação à ETARI (Estação de Tratamento de Águas Residuais Industrias) do Caima.

Em comunicado enviado às redações, pode ler-se que “como é do conhecimento público, desde há cerca de 20 anos, os esgotos domésticos da vila de Constância são tratados na ETARI do Caima, através de um emissário assente no leito do rio”.

Segundo a mesma informação, “a conduta existente (...) apresenta um elevado estado de fadiga, pelo que não permite reunir as necessárias condições de segurança e funcionamento que assegurem, sob o ponto de vista ambiental, a sua normal atividade”.

“Os trabalhos a executar preveem fornecimento, montagens e soldaduras em tubagens de PEAD (Polietileno de Alta Densidade), incluindo a aplicação de maciços de fundeamento pré-fabricados em betão, com vista a permitir a fixação das condutas ao fundo do leito do rio”, pode ler-se no mesmo comunicado.

Em declarações à Antena Livre, Júlia Amorim, presidente da Câmara Municipal de Constância, referiu que “para além de ser uma obra muito importante, é uma obra que tem uma especificidade técnica muito grande (…) A estrutura do tubo vai ficar com um material diferente do anterior e vai ter uma durabilidade maior”, garantiu.

“Não sendo possível fazer uma ETAR do município na zona baixa da vila houve uma negociação com a empresa Caima para que os nossos esgotos fossem tratados na estação do Caima. A única forma que encontramos na altura foi haver uma conduta que passasse no Tejo e que fosse até à ETAR do Caima. Os anos passam e houve a necessidade de substituir essa mesma conduta por materiais mais modernos e mais duradouros”, explicou a autarca.

A obra, com um custo de cerca de 50 mil euros, vai ser assegurada pela empresa Sondagens do Oeste. Os trabalhos tiveram início esta semana e vão-se prolongar num prazo máximo de 30 dias.