Pesquisar notícia
sexta,
17 set 2021
PUB
Concelhos

Constância: Santa Casa homenageia funcionários em Dia do Idoso

2/10/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Santa Casa da Misericórdia de Constância assinalou o Dia do Idoso, comemorado a 1 de outubro, com uma “singela homenagem aos funcionários da Instituição e às entidades e particulares que connosco colaboram na atual situação de pandemia”.

Foi no exterior do Lar de S. João, edifício sede da Santa Casa da Misericórdia de Constância (SCMC) que uma dezena de convidados se juntaram para prestar esta homenagem.

António Paulo Teixeira, provedor da SCMC, reconheceu que, nesta altura, a homenagem é importante “porque não podemos baixar a guarda. A pandemia está aí e temos que continuar o nosso trabalho mas não quisemos deixar de, de uma forma simples, homenagear todos aqueles que nos têm ajudado”.

Quanto ao dia escolhido, o provedor afirmou que “nada melhor que o Dia do Idoso” o que significa “alegria e dever profundo de reconhecimento. Esse reconhecimento está bem patente e acreditamos estar no caminho certo e continuaremos sempre a defender aquilo que é defensável”.

António Paulo Teixeira, provedor da Santa Casa da Misericórdia de Constância

Quanto aos tempos que se vivem, com especial incidência de casos em instituições que cuidam de idosos, na SCMC os tempos também têm sido “difíceis, com muita sobrecarga, muito esforço e muita dedicação” mas, segundo o provedor, “até ao momento não tivemos nenhum caso e continuaremos a pugnar com todas as nossas forças para que continuemos assim”. António Paulo Teixeira voltou a relembrar os funcionários da Instituição que “são a base desta nossa atividade. Sem eles, dificilmente os nossos queridos utentes teriam boas assistências. É um investimento que temos vindo a fazer. É um capital humano incomensurável e de real valor”.

Para já, o Centro de Dia continua fechado e, disse o provedor, “estamos atentos a estas vagas, que não sabemos como é que nos vamos posicionar mas estamos com um sentido de responsabilidade e de ânimo para que os idosos sintam o menos possível este tipo de situação”. António Paulo Teixeira adiantou ainda que “as nossas respostas estão seguras, de momento, mas esta pandemia é uma maratona sem uma meta à vista. Temos que ter esperança e vamos caminhando passo a passo, defendendo aquilo que é defensável”.

Manuel Maia Frazão, presidente do Secretariado Regional de Santarém da União das Misericórdias Portuguesas (UMP), presente na cerimónia, começou por afirmar que “os trabalhadores das Misericórdias têm sido os menos falados na comunicação social mas são os que maiores trabalhos têm tido”. Destacou o profissionalismo demonstrado “e nem sempre reconhecido” ao longo dos últimos seis meses e deu os parabéns “às boas pessoas que são”. “Obrigado por serem boas pessoas e continuem a ser assim”, disse Maia Frazão.

O presidente do Secretariado Regional de Santarém da UMP referiu-se às 23 Misericórdias do distrito de Santarém afirmando que, felizmente, não têm tido problemas de Covid, fruto, essencialmente de duas grandes ações: porque temos um plano de contingência bastante bem trabalhado e que temos o posto em prática quando é necessário e outra diferença é a forma como os nossos trabalhadores se prepararam mentalmente (…) e a forma como criaram nas pessoas que estão dentro das nossas unidades a partilha,. A amizade e o bom relacionamento”. “Se assim não fosse”, disse Maia Frazão, “as nossas unidades seriam prisões autênticas. Os utentes não saem de lá há sete meses”. Lembrou que toda esta situação tem feito com que as Misericórdias tenham feito “vários e grandes investimentos para que se tenha permitido o afastamento dos utentes dentro das unidades”.

António Paulo Teixeira, Sérgio Oliveira (presidente da CM Constância) e Maia Frazão, presidente do Secretariado Regional de Santarém da UMP

Maia Frazão reconheceu “a arte e o engenho” dos funcionários das Misericórdias e, dirigindo-se ao provedor da SCMC, disse que “o reconhecimento que fez, fê-lo na altura certa. Discretamente, com a humildade que o caracteriza, mas numa altura em que as pessoas começam a ficar um pouco cansadas. Nem tanto fisicamente, mas mais mentalmente e com alguma apreensão”. É que, como lembrou o presidente do Secretariado Regional de Santarém, “vem aí o inverno com as gripes. E temos que começar a pensar na possibilidade de a gripe vir antes de uma 2.ª vaga de Covid. Eu acho que a própria área da saúde ainda não se preparou para isso”. E deixa uma questão: “se a gripe vier antes, na mesma proporção do ano passado, como é que vai ser? Quem é que vai acolher os Covid's?”, relembrando os corredores cheios de macas que entupiram os hospitais no ano passado.

Maia Frazão apelou “para que a área da saúde, que não tem ajudado em muito, só tem ajudado dentro dos próprios hospitais, (…) é fundamental prepararem locais para atenderem pessoas que tenham Covid, de forma que a outra comunidade que tem direito à saúde pública, tenham a garantia e a segurança de que, se tiverem uma fragilidade, tenham algum profissional de saúde que os acolhe”.

O presidente da Câmara Municipal de Constância louvou a iniciativa e reconheceu igualmente “as semanas e meses difíceis para todos nós, sem exceção, mas muito em especial para os trabalhadores da Santa Casa, para os profissionais de saúde”. Sérgio Oliveira parabenizou “a Santa Casa por reconhecer o trabalho dos seus funcionários, cujas organizações só conseguem andar para a frente se reconhecerem e valorizarem os recursos humanos que trabalham diariamente nas mesmas e, com esta homenagem, fazer uma homenagem alargada a toda a comunidade do nosso concelho, a todas as instituições que têm sabido estar à altura do desafio que tem sido o Covid”.

“Tem havido colaborações muito estreitas para conseguirmos que os números de infeções não sejam maiores do que aquelas que já existem no nosso território”, disse Sérgio Oliveira que ainda deixou “uma palavra de alento e de esperança de que esta fase difícil das nossas vidas há-de passar e temos que manter um sorriso na cara, ter todos os cuidados que são precisos, mas a nossa vida tem que continuar e temos que seguir em frente”.

A Santa Casa da Misericórdia de Constância conta com 74 profissionais, uma ERPI - Estrutura Residencial para Idosos em Santa Margarida com 40 utentes e outra ERPI, o Lar de S. João, em Constância, com 24 utentes. Tem ainda uma creche com 40 crianças.

A benção das placas foi feita pelo padre Nuno, pároco de Constância