Pesquisar notícia
terça,
21 set 2021
PUB
Concelhos

Constância: Comissão de Utentes lança abaixo-assinado pela manutenção da CGD de Santa Margarida

20/03/2017 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Comissão de Utentes dos Serviços Públicos do Concelho de Constância lançaram, no sábado, um abaixo-assinado pela manutenção da Caixa Geral de Depósitos de Santa Margarida. O documento reclama ainda o funcionamento em horário completo da CGD em Constância.

Recorde-se que Caixa Geral de Depósitos (CGD) confirmou no dia 1 de março à Lusa o encerramento das agências bancárias em Santa Margarida, concelho de Constância, e em Golegã, apesar dos protestos dos respetivos autarcas.

"A agência da Golegã será encerrada, mas os clientes serão integrados na agência da Chamusca. Também confirmamos o encerramento da agência de Santa Margarida, cujos clientes serão integrados na agência de Constância", disse à agência Lusa fonte oficial da CGD, questionada sobre as críticas dos autarcas dos respetivos municípios sobre este processo.

"Como é do conhecimento público e consta do plano de recapitalização da Caixa Geral de Depósitos, previamente acordado com as autoridades europeias, está prevista a realização de um programa de restruturação da rede de agências, à semelhança da restante banca portuguesa", acrescentou a mesma fonte, sem referir se e quais agências poderão encerrar no país, a exemplo do que vai suceder a 31 de março em Constância e em Golegã.

Em comunicado, a presidente da Câmara de Constância manifestou a sua "discordância" pelo fecho do Balcão da Caixa Geral de Depósitos do Campo Militar de Santa Margarida no final deste mês, "pelo impacto negativo que a mesma terá na vida das pessoas, tanto dos militares como da população civil que habitualmente utiliza este serviço".

Júlia Amorim (CDU) disse ainda "não concordar que essa mesma reestruturação seja realizada pondo em causa a qualidade do serviço público prestado aos cidadãos, através do encerramento de balcões, da redução de trabalhadores e do horário de atendimento ao público", tendo defendido que "as medidas, ao serem tomadas, devem ter em conta a especificidade dos territórios sob pena de se criarem ainda mais desigualdades no acesso dos portugueses aos serviços a que têm direito".

O abaixo-assinado do CUSP do Movimento de Utentes Serviços Públicos do Distrito de Santarém está disponível em: http://muspsantarem.blogspot.pt/2017/03/constancia-assinaturas-em-defesa-dos.html

C/Lusa