Pesquisar notícia
quarta,
22 set 2021
PUB
Concelhos

Constância: Astrofesta “é uma referência” a nível europeu – Ministro

20/08/2018 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Manuel Heitor, Sérgio Oliveira e Máximo Ferreira

“Esta festa é uma referência não só a nível nacional, mas também a nível Europeu”, foi desta forma que Manuel Heitor, Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, iniciou a sessão oficial de abertura da XXV Astrofesta, no passado sábado, no Centro de Ciência Viva de Constância (CCVC) - Parque de Astronomia.

O governante justificou a projeção europeia da Astrofesta em Constância, por ser uma “festa que se desenvolve, sistematicamente, ao longo de 25 anos (…) mas, sobretudo porque se transformou numa referência daquilo que é o convívio de astrónomos amadores e profissionais”.

Na cerimónia de abertura daquele certame, Manuel Heitor disse aos jornalistas que o mundo da astronomia mudou muito nos últimos 25 anos, mas vai "sofrer alterações brutais" nos próximos anos. E anunciou que Portugal vai integrar uma rede mundial de telescópios interligados de modo digital.

Manuel Heitor disse aos jornalistas que o mundo da astronomia mudou muito nos últimos 25 anos/Foto de Sérgio Mourato

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior antecipou os desafios do futuro, tendo afirmado que, "hoje, Portugal participa num grande projeto à escala mundial para poder ligar todos os telescópios de uma forma digital", incluindo os instalados no Centro de Ciência Viva de Constância.

"Se é verdade que os últimos 25 anos foram de grande transformação em Portugal de introdução da cultura científica nos portugueses, também é verdade que os próximos 25 anos na área da astronomia vão sofrer alterações brutais", afirmou o governante na abertura oficial do evento, que reuniu até domingo cerca de mil astrónomos portugueses e de outras nacionalidades, profissionais e amadores, investigadores e professores, entre outros.

Como vincou o ministro, "a reunião aqui [em Constância] de mil pessoas é certamente o reconhecimento dos últimos 25 anos e uma clara demonstração de capacidade da astronomia para o futuro de Portugal e para aquilo que é a interação [do país] no mundo e numa economia do conhecimento".

Em declarações aos jornalistas, Máximo Ferreira lembrou que tudo começou com "dois pequenos telescópios metidos numa carrinha" que conduziu até à Serra D´Ossa, no Redondo, em 1994, tendo levado a astronomia no ano seguinte às praias do Algarve, num espírito de missão e de divulgação que partilhou com o antigo ministro Mariano Gago.

"As pessoas não vinham aos telescópios, levávamos nós os telescópios até onde estavam as pessoas", recordou, lembrando que o programa de "divulgação da astronomia e das ciências em geral" estendeu-se às regiões do interior em 1997 com o programa Ciência no Verão, que se mantém até aos dias de hoje.

Oradores convidados: José Pedro Sousa, Miguel Pinto dos Santos, Sérgio Oliveira, Manuel Heitor, Rosália Vargas e Máximo Ferreira

Na sessão de abertura da Astrofesta, marcou presença o Diretor do Museu Nacional de História Natural e da Ciência, José Pedro Sousa Dias, que apresentou o historial das Astrofestas e os objetivos que estes eventos têm na projeção da divulgação científica.

Já a presidente da Ciência Viva – ANCCT, Rosália Vargas, salientou que a Astrofesta é uma ação “muito, muito bonita” e é “tão bonita que reúne astrónomos amadores, profissionais e muitos curiosos”, sendo “a festa mais antiga de astronomia do país”.

Por sua vez, em representação do Instituto Politécnico de Tomar, marcou presença Miguel Pinto dos Santos, vice-presidente da instituição, que afirmou que o IPT tem apoiado e tem sido um parceiro das instituições com o CCVC.

Por último, Sérgio Oliveira, presidente da Câmara de Constância, salientou o papel “fundamental” do CCVC na projeção do concelho. E disse que os concelhos do interior, como é o caso de Constância, “têm de apostar cada vez mais em infraestruturas que os distinguem de outros concelhos e regiões”, dando como exemplo o CCVC.

Durante o passado fim de semana, a Astrofesta apresentou um programa variado que envolveu observações do céu (à vista desarmada e com telescópios), um minicurso de introdução à Astronomia, uma pequena feira interativa de ciência e várias palestras.

Público presente na sessão oficial de abertura da XXV Astrofesta

C/Lusa