Pesquisar notícia
domingo,
25 jul 2021
PUB
Concelhos

Mação: 57 anos depois Quartel dos Bombeiros reinaugurado e entregue ao CRIA para resposta social (C/ÁUDIO E FOTOS)

4/07/2021 às 18:30
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

Mação inaugurou este sábado, dia 3 de julho, o CAO. Assim foi designado desde sempre. Resulta de um trabalho de parceria tripartido entre Município, que garantiu as infraestruturas, Segurança Social que garante o financiamento da resposta social, e Centro de Recuperação e Integração de Abrantes (CRIA), que vai garantir a operacionalidade desta nova estrutura social.

Mas para se começar a perceber o que é que foi inaugurado este sábado temos de recuar a 2016, muito antes de a pandemia ter vindo “complicar” as nossas vidas. Nesse ano, em novembro, Vasco Estrela, presidente da Câmara de Mação foi, juntamente com Nelson Carvalho e José Carlos Veríssimo, ambos do CRIA, a uma reunião ao gabinete do Ministro do Trabalho e Solidariedade Social da altura, José Vieira da Silva. E nessa reunião, os três, apresentaram esta ideia de “criar uma parceira com estas três entidades”. E, nessa altura, “fomos incentivados a seguir em frente, a conseguir esse objetivo”.

Vasco Estrela, relembrou aquilo que lhe foi dito: “este é o caminho”. E lembrou o exemplo que, naquela altura foi referido. A Amadora tinha um projeto em que o município fez o investimento, a Segurança Social fez a sua parte e a instituição de resposta social fez a sua. “Cada um faz aquilo que é a sua obrigação”.

Vasco Estrela relembrou o início de todo este processo que teve depois um caminho que conseguiu que fosse percorrido até ao ato inaugural e que agora espera que, em setembro, depois de concluídos os procedimentos logísticos e de preenchimento de recursos humanos possa abrir portas, de forma efetiva.

Neste caminho o autarca de Mação começou por deixar uma palavra a todos os que passaram, durante mais de 50 anos, por uma casa que tem uma história muito importante no concelho. O Quartel dos Bombeiros de Mação que acolheu ao longo de mais de cinco décadas a resposta de emergência passa a oferecer uma outra resposta, agora na área social.

E no caminho que foi trilhado, Vasco Estrela agradeceu à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR) Centro, personalizado no vogal do Programa Portugal 2020, Luís Francisco Filipe. E Vasco Estrela vincou o baixo financiamento disponível para este projeto. É que a transformação do antigo Quartel dos Bombeiros de Mação foi candidatada ao Programa PARU (Plano de Ação de Regeneração Urbana) de onde obteve um financiamento de 400 mil euros para um investimento de 900 mil euros. Quer isto dizer que meio milhão de euros saiu dos cofres municipais e sem recurso a qualquer financiamento bancário. Mas o financiamento teve a ver com a regeneração urbana, ou seja, com a requalificação de um edifício do Centro Histórico de Mação (o outro que obteve financiamento foi o Cineteatro, cuja obra estará concluída este verão).

Apesar de ser um projecto vocacionado para uma área cada vez mais sensível, o financiamento estatal ou europeu acabou por ser apensar através deste programa de regeneração urbana, pelo que, se não fosse a aposta clara do poder local (Câmara Municipal) seria muito complicada a sua execução.

Vasco Estrela acabou por revelar, à Antena Livre, que este Centro de Atividades Ocupacionais, agora entregue ao CRIA teve um investimento global de 1,3 milhões de euros. 900 mil na recuperação do edifício e cerca de 400 mil na aquisição do equipamento.

Vasco Estrela, presidente CM Mação

É que o CAO de Mação vai ter duas respostas sociais na área da pessoa com deficiência. E, de acordo com os responsáveis do CRIA e da Segurança Social, há um enorme défice destas estruturas no país.

Quer isto dizer que o CAO que agora se designa por Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão (CACI), com capacidade para 20 utentes, e o lar residencial, com capacidade para outros 20, pode dar resposta à região, mas também ao país.

Aliás, Nelson Carvalho, presidente da direção do CRIA revelou isso mesmo, que o CACI pode dar resposta local, mas por via do financiamento da Segurança Social, pode vir a dar uma resposta ao país, “que está muito necessitado destas infraestruturas”.

E se a Câmara Municipal de Mação tratou de todo o processo de obra, depois de descerrada a placa da inauguração, Vasco Estrela, disse ser hora de sair de cena e passar “as chaves” ao CRIA que vai agora ocupar e colocar a estrutura a funcionar.

Abertura do CACI vai ser em setembro

Mação sempre teve uma ligação muito forte com o CRIA. Todos os dias jovens do concelho fazem quilómetros para Alferrarede, onde estão as respostas sociais do Centro de Recuperação e Integração de Abrantes. E com este CACI (ou CAO como ainda é chamado localmente), uma parte dessas pessoas podem passar a ter resposta no concelho.

Nelson de Carvalho, presidente da direção do CRIA, explicou que na próxima semana será assinado o acordo de cooperação entre a instituição e a Segurança Social para desbloquear a subvenção anual do Estado de 360 mil euros. Depois será feita a adaptação e reestruturação dos serviços do CRIA para a inclusão desta resposta na sua logística e quadros de recursos humanos.

Há um conjunto de serviços que o CRIA já tem em Abrantes e que vai estender a Mação. Por exemplo na saúde e fisioterapia, entre outras especialidades. Mas há um outro conjunto de lugares que têm, necessariamente de ser preenchidos.

Nelson Carvalho destacou que esses passos vão ser dados a partir de agora e que em setembro garante as condições para a abertura efetiva desce Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão de Mação.
A visita às instalações, conduzida por Vasco Estrela e Nelson Carvalho, contou com a proximidade do diretor da instituição José Carlos Veríssimo que explicou, sempre que necessário, as funcionalidades de todos os espaços visitados.

E este é um projeto que teve uma palavra mágica, de acordo com Nelson Carvalho: Cooperação. É que, não fosse esta cooperação entre diversas instituições, mas com uma vontade única, e talvez não fosse possível esta inauguração.

Nelson Carvalho, presidente direção CRIA

Por falar em inauguração, ela aconteceu, curiosamente, num dia em que, se se tratasse de um ano normal, ali ao lado, o largo da Feira estaria com a Feira Mostra de Mação em plena atividade. Recorde-se, que foi em plena Feira Mostra que foi assinado o acordo entre o Município e o CRIA, para a criação do CAO, hoje CACI.

E sem Feira Mostra e com pandemia a inauguração não teve o envolvimento que uma obra desta dimensão teria, para a vila, para o concelho e para o território da região.

Benção, Padre Amândio Mateus

O Quartel dos Bombeiros deu vida a outra resposta, e a corporação esteve representada no exterior onde elementos da corporação fizeram uma espécie de guarda de honra à cerimónia. Aliás há 57 anos, 3007 semanas e 21 050 dias, que eles próprios, os bombeiros tinham inaugurado aquele edifício.

Seja como for, mudam-se os tempos mudam-se as vontades, ouvimos dizer, mas em Mação foi dito de outra forma, e muito mais ajustada: “Mudam-se as necessidades e proporcionam-se novas oportunidades”.

Jerónimo Belo Jorge