Pesquisar notícia
sábado,
25 set 2021
PUB
Concelhos

Câmara aprova apoio a candidatura de 2 milhões para Tecnopolo

17/09/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O Executivo Municipal de Abrantes aprovou na reunião desta terça-feira, 17 de setembro, com o voto contra do vereador do Bloco de Esquerda, Armindo Silveira, e a abstenção do vereador do PSD, Rui Santos, o cabimento de 320 mil euros destinados a reforçar o capital da Tagusvalley. Este reforço ainda vai ter de ser ratificado pela Assembleia Municipal de Abrantes e tem como objetivo suportar a componente nacional de uma candidatura do Parque de Ciência e Tecnologia a um programa no âmbito do Portugal 2020. Trata-se do reforço de condições técnicas de estruturas já existentes e a construção ou criação de novas. A candidatura tem um valor global superior a dois milhões de euros. O projeto foi apresentado pela vereadora Ana Paula Grijó e levou o presidente da autarquia a informar que vai solicitar ao presidente da Assembleia Municipal de Abrantes, António Gomes Mor, a realização de uma sessão no Parque de Ciência e Tecnologia.

Armindo Silveira votou contra por não concordar com os reforços de capital da Tagusvalley que dizer dever ser auto-suficiente na gestão corrente e afirmou não ter documentos relativos à gestão desta estrutura.

Na mesma reunião foi aprovado um conjunto de cabimentações financeiras para os programas de apoio do município aos alunos das escolas, seja nas atividades extra-curriculares, nas de ocupação dos tempos livres ou nas que são desenvolvidas pelas associações de pais. Foi aprovado um apoio de 15 mil euros para a Junta de Freguesia de Bemposta tendo em vista a aquisição de uma viatura para transportar crianças paras as escolas. Trata-se de um serviço a ser prestado onde não existem privados que o possam executar. Manuel Jorge Valamatos informou ainda os vereadores que este tipo de apoios vai repetir-se noutras freguesias.

O executivo aprovou ainda, com o voto contra do vereador do BE Armindo Silveira, um apoio de seis mil euros à Tagus pelas atividades que vai desenvolver no projeto “Bairro ConVida”, em Vale de Rãs.

Foi também decidido aprovar um pedido do Grupo de Apoio de Abrantes da Liga Portuguesa Contra o Cancro para que, durante todo o mês de outubro, possam ser colocados dois laços cor-de-rosa nos portões de entrada do jardim do Alto de Santo António para evocar o Dia Nacional da Prevenção do Cancro da Mama (30 de outubro).

Foi ainda definido o valor e as datas de aquisição dos kit's de participação numa color run, a acontecer a 29 de setembro, em Abrantes.

Antes, no período antes da ordem do dia, o presidente da Câmara deixou a nota da presença do ministro do Ambiente, João Matos Fernandes, onde foi anunciada a contratação de cinco vigilantes da natureza, também designados por guarda-rios. Informou ainda que a base operacional destes vigilantes vai ser em Abrantes, em instalações que permitam albergar os equipamentos que têm disponíveis: Jipes, barco e drones. Manuel Jorge Valamatos informou ainda que tem estado em conversações com a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) no sentido de avaliar uma reestruturação das condições dos serviços da Administração da Região Hidrográfica (ARH) em Abrantes.

A vereadora responsável pela educação, Celeste Simão, apresentou um relatório completo do arranque do ano letivo no concelho, desde o ensino pré-escolar até ao secundário, tendo cabido a Ana Paula Grijó apresentar alguns dos dados disponíveis relativamente à Escola Superior de Tecnologia de Abrantes.

Neste âmbito, da educação, foi ainda informado que a Câmara de Abrantes adquiriu e colocou nas escolas do primeiro ciclo do ensino básico 39 quadros interativos para deixar todas as salas equiparadas.

O vereador Armindo Silveira levantou as questões das acessibilidades junto à escola secundária Dr. Manuel Fernandes, uma vez que com o reinício das aulas voltou a ser uma com muitos problemas. Manuel Jorge Valamatos concordou com o vereador embora tenha feito notar que além de uma alternativa deveria pensar-se em diminuir o número de automóveis e fazer com que os jovens pudessem usar mais transportes públicos. A conversa evoluiu para a necessidade de construir uma via, ou avenida, que fizesse a alternativa à General Humberto Delgado. Essa ideia, comungada por todas as forças políticas, integra o Plano de Urbanização de Abrantes com uma ligação de uma eventual rotunda junto ao Hospital e uma via até à Cidade Desportiva, passando junto à escola, mas esbarra nas condicionantes financeiras. Rui Santos, do PSD, ainda tentou levar Manuel Jorge Valamatos a assumir a vontade de construir esta via. Só que, o presidente, notou esta preocupação, mas voltou a incidir nas condicionantes financeiras já que seria um investimento de milhões de euros.