Câmara apresenta contrato de comodato à Sociedade Iniciativas de Abrantes para gestão do São Pedro

Concelhos 2018-11-29

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara Municipal, avançou esta terça-feira, na reunião do executivo camarário, que o Município vai apresentar à Sociedade Iniciativas de Abrantes um contrato de comodato.

A autarca abrantina recusou-se a revelar o teor da proposta, no entanto disse à Antena Livre que o contrato de comodato vai ser enviado à Sociedade no decorrer desta semana.

Maria do Céu Albuquerque afirmou que “a Sociedade não tem condições neste momento para fazer a alienação daquele património” e nessa sequência “propôs que se trabalhe um contrato de comodato e foi isso que fizemos”. Contudo, a Câmara continua a querer adquirir o imóvel, sendo essa “a primeira opção, desde o primeiro momento”, salientou a presidente.

Reunião do executivo camarário desta terça-feira

Recorde-se que na reunião de Câmara, do dia 13 de novembro, Maria do Céu Albuquerque voltou a reiterar que a proposta de compra do cineteatro São Pedro à Iniciativas de Abrantes se cifrava nos 267 mil euros.

“É esse o nosso interesse”, vincou Maria do Céu Albuquerque, apontando novamente o valor, que foi recusado pela Sociedade Iniciativas de Abrantes conforme referiu à Antena Livre José Alberty, em representação da Sociedade.

“A Sociedade entende que o edifício tem que ser valorizado pelo que é hoje. É contraproducente, porque a Câmara já pagou durante 20 anos aquele imóvel e as suas melhorias. E, portanto, não pode pagar duas vezes”, salientou a presidente.

Maria do Céu Albuquerque referiu que a Sociedade “para além de não concordar com este montante [267 mil euros], não tem condições legais para poder fazer a alienação”.

Quando questionado pela Antena Livre sobre o que pensa a Sociedade acerca do valor proposto pelo Município, José Alberty disse que o valor “não caiu bem na Sociedade” e lembrou que o imóvel foi avaliado pelo Município em setembro de 2017 por 844 mil euros.

“A avaliação deu o valor de 844 mil euros, mas só disse respeito ao aspeto do valor de construção. Nesse valor, não foi tido em conta o valor histórico e arquitetónico. Sem se ter se discutido o valor da avaliação, foi oferecido à Sociedade uma proposta de compra do edificado por 267 mil euros. Ora, como deve calcular, essa situação de disparidade de valores apresentados, não caiu bem na Sociedade”, fez notar José Alberty.

José Alberty

O representante da Sociedade considera que “não tem de pesar” no valor proposto o trabalho de manutenção e requalificação que o Município foi realizando ao longo destes 19 anos, aquando assumiu a gestão do equipamento, através de um contrato de comodato.

O responsável reporta-se ao contrato de comodato celebrado em 2001 e alega que no contrato está “referenciado que todas as obras e benfeitorias, no fim do contrato, reverteriam para a Sociedade”.

Recorde-se que foi no passado dia 28 de janeiro de 2018 que o contrato de comodato de cedência do Cineteatro São Pedro terminou. O contrato foi celebrado por um período de 19 anos, com gestão municipal do imóvel.

Aos dias de hoje, José Alberty vinca que “a Câmara, assim como a Sociedade, o interesse máximo que têm é voltar a pôr o equipamento ao serviço da população de Abrantes”.  

 

Notícia relacionada:

https://www.antenalivre.pt/noticias/abrantes-camara-reitera-compra-do-cineteatro-sao-pedro-por-267-mil-euros