Abrantes: Roubos de sinalização no concelho e atrasos na distribuição de correio preocupam Município

Concelhos 2019-07-11
Foto: Antena Livre
Foto: Antena Livre

Os roubos e a falta de sinalização no concelho de Abrantes bem como atrasos na distribuição de correio ao domicílio por todo o concelho de Abrantes, afeto à empresa CTT, foram assuntos debatidos na última reunião do executivo, que decorreu a 9 de julho.

O assunto relativo ao atraso de correio foi abordado primeiramente pelo vereador do Bloco de Esquerda Armindo Silveira, que expôs a “má distribuição do correio ao domicílio” nas freguesias de São Facundo, Alvega e Concavada, dando conta de que “já era altura de as pessoas terem as reformas e ainda não chegaram”.

Armindo Silveira acrescentou que existem locais onde só estão a ser realizadas entregas urgentes e que o chamado correio normal só está a ser feito “uma vez por semana”, e pediu ao Município para pedir esclarecimentos aos CTT, uma vez que “os correios não estão a cumprir o serviço público a que estão obrigados”.

Também o vereador Rui Santos (PSD) abordou depois o assunto, defendendo que a situação é “transversal a todo o concelho” e que é urgente contactar com a administração da empresa CTT.

Já no que diz respeito à sinalização e sinalética no concelho, foi o vereador do PSD, Rui Santos, que questionou a maioria socialista sobre se já está concluído o levantamento daquilo que é preciso rever na cidade, uma vez que, diz, a sinalização no concelho se encontra “completamente desadequada” e “tem de ser retificada”.

Em resposta, o vice-presidente, João Gomes, deu conta de que o levantamento já está feito, faltando agora “a parte operacional de colocação”. O responsável anunciou também que foi contactado pelo presidente da União de Freguesias de Abrantes devido ao roubo de oito sinais de passadeiras apenas numa noite. O vice-presidente disse que há muita sinalética danificada em todo o concelho e classifica estes atos como “uma falta de civismo brutal,”, referindo ainda que esta é uma questão que “é de todos e que nos prejudica a todos”.

Já o vereador Luís Dias (PS), referiu que “em maio reunimos uma equipa multidisciplinar que tem abordado estas questões” e que foi feito “um levantamento integral daquilo que estava menos bem”. O vereador salientou que é preciso “fazer uma gestão inteligente de forma a racionalizar os custos” e que foi inclusive feita uma candidatura ao Programa Valorizar neste âmbito da sinalética: “Estamos a iniciar os procedimentos”, disse.

AINDA NESTA REUNIÃO DE CÂMARA:

  • Empresário Jorge Ferreira Dias desmente afirmações do Presidente da Câmara

No início da reunião, no período destinado à intervenção do público, o munícipe Jorge Ferreira Dias interveio, no sentido de “desmentir tudo o que foi dito” pelo Presidente da Câmara, Manuel Jorge Valamatos, admitindo que “documentos para provar o contrário e daqui para a frente vamos ver o que é que vai acontecer”.

Apesar de o autarca não ter estado presente na reunião do executivo, o empresário reiterou que Manuel Jorge Valamatos precisa de “ter cuidado sobre as coisas que diz” acerca da reportagem do canal TVI, defendendo que “isto não é uma Câmara” e que “aquilo que me fizeram a mim é uma javardice”.

Em resposta a Jorge Ferreira Dias, o vice-presidente da autarquia, João Gomes (em substituição de Manuel Jorge Valamatos) disse que “a Câmara teve uma posição, o senhor tem a sua, com toda a legitimidade de ambas as partes a terem, (…) sabemos que há litígio em via judicial e todos queremos que rapidamente haja um desfecho porque seria bom para ambas as partes”.

  • Vereador Armindo Silveira questiona sobre criação de polo da USF Beira Tejo

O vereador fez referência a uma recomendação que foi aprovada por unanimidade na Assembleia de Freguesia de São Miguel do Rio Torto, a 28 de junho, relativamente à criação de um novo polo da USF Beira Tejo em São Miguel do Rio Torto “como forma a resolver o problema para os utentes do posto de saúde de São Miguel”, disse o vereador que apoia a recomendação e que defendeu que “o impasse no posto de saúde de São Miguel não pode continuar sob pena de se repetir o que aconteceu na União de Freguesias de São Facundo e Vale das Mós, em que a ACES do Médio Tejo e a Câmara Municipal nunca mostraram capacidade de colmatar a falta de profissionais de saúde”.

Em resposta, a vereadora Celeste Simão, que detém o pelouro da Saúde, respondeu que “não há impasse nenhum [relativamente ao posto de São Miguel do Rio Torto]. A situação ficou resolvida na altura, os utentes continuam a ter a sua vez guardada no Rossio (…) e continuam a ter assistência devida no posto de São Miguel”.

Depois, o vice-presidente, João Gomes, reforçou que se há área em que o Município tem “trabalhado ao longo dos anos é nesta área da saúde”, por vezes em questões que são “fora das nossas competências municipais”.

  • Vereador Luís Dias congratula abrantinos pela passagem do doce Palha de Abrantes às meias-finais do concurso 7 Maravilhas – Doces de Portugal

O vereador socialista esteve presente na passada sexta-feira, dia 5 de julho, em Santarém, juntamente com o Presidente de Câmara, a figura “Palhinhas” e um grupo de abrantinos em representação do doce Palha de Abrantes no concurso da RTP ,que passou às meias-finais como único representante do distrito de Santarém.

O vereador afirmou que o reconhecimento arrecadado, em forma de troféu, é “de todos nós” e que o Município estará “nas meias-finais de corpo e alma”. As meias-finais realizam-se a 24 e 31 de agosto.

O vereador Luís Dias levou o troféu arrecadado pela Palha de Abrantes para a Reunião de Câmara de Abrantes

  • Município candidata-se ao POSEUR para ligação entre Quinchosos e jardins do Castelo e telas no centro histórico

Abrantes, em conjunto com Vila de Rei e Tomar, celebrou um protocolo com a CIM do Médio Tejo, para submeter uma candidatura ao POSEUR nos domínios da sustentabilidade e eficiência no uso de recursos.

“Estamos a falar de duas linhas de ação: uma que será na ligação entre a bolsa de estacionamento dos Quinchosos aos jardins do Castelo, para tornar aquela zona com aroma e cor” através da eliminação das espécies invasoras que preencheram o talude, bem como através da regularização “do caminho pedonal e criação de patamares e guardas de segurança com recurso a madeira” e “plantação de espécies vegetais resistentes ao stress hídrico, instalação de sistemas de rega gota a gota”, explicou o vice-presidente, João Gomes.

O segundo eixo prende-se com uma obra que já foi realizada – cobrimento das ruas do centro histórico com telas, uma ação relacionada com a luta do combate às alterações climáticas.

O valor total da candidatura ronda os 190. 477.45 euros, esperando-se agora o desfecho da candidatura.

  • Nomeação das Conselheiras Locais para a Igualdade

Foi aprovada por unanimidade a nomeação de Isabel Cartaxo, Chefe de Divisão de Intervenção Social, para conselheira interna. A munícipe Piedade Pinto foi eleita para conselheira externa. Estas nomeações acontecem no âmbito do novo protocolo de cooperação, assinado com a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, que estabelece linhas orientadoras no âmbito da Estratégia Nacional para a Igualdade e Não Discriminação 2018/2030 – Portugal Mais Igual (ENIND), visando contribuir para o desenvolvimento de uma cultura de direitos humanos, igualdade entre mulheres e homens, não discriminação e não-violência junto das populações.

 

Texto e Imagens: Ana Rita Cristóvão