Pesquisar notícia
sexta,
24 set 2021
PUB
Concelhos

Abrantes: O grande problema social do concelho é o envelhecimento da população (com áudio)

22/05/2019 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O maior problema, ou desafio, social do concelho de Abrantes é o envelhecimento da população. Esta preocupação resulta do estudo sobre as questões sociais de Abrantes e que foi apresentado esta quarta-feira, dia 22 de maio, no arranque da Jornadas Sociais de Abrantes.

João Fermisson, o coordenador do Plano de Desenvolvimento Social de Abrantes, explicou à Antena Livre que esta é a grande preocupação das questões sociais de Abrantes e atravessa a população mais idosa, mas também os jovens e todas as instituições.

Quando ao futuro, João Fermisson defende que “a forma como temos de olhar para este problema não pode ser a mesma como olhávamos à 10 ou 20 anos atrás. É esta transformação que está a ser feita e que vai ser feita nos próximos anos.”

Esta temática já tinha sido lançada pela vereadora Celeste Simão, porquanto a Câmara Municipal de Abrantes é uma das entidades parceiras de um conselho social que engloba cerca de seis dezenas de instituições e que tem um núcleo executivo mais curto, de sete ou nove instituições. É, aliás, neste núcleo reduzido que são definidos os assuntos que depois vão à comissão mais alargada para poderem ser debatidos.

Celeste Simão aproveitou para deixar no ar uma reflexão, ou uma necessidade, de refletir sobre todos os conselhos municipais que existem e vão existir. Disse a vereadora da ação social de Abrantes que pediu para fazerem o levantamento das instituições e dos representantes destas nos diversos conselhos municipais que legalmente têm de existir.: educação, social, juventude, segurança, e brevemente, saúde. Ora nestes conselhos muitos dos membros têm assento em todos ou quase todos, pelo que se anda constantemente em reuniões. E ainda existem os conselhos gerais dos agrupamentos escolares.

Toda a gente tem tanta coisa para fazer que temos de “criar estratégias para melhorar as desvantagens de ocorrem com a realização de tanto conselho municipal”, defendeu a vereadora, salientando que não é com a criação de mais um conselho aglutinador de todos ou a ultrapassar a legislação existente.

Celeste Simão abordou o Plano de Desenvolvimento Social do concelho com algo imaterial que representa uma estratégia ou, se quisermos, um chapéu para aglutinar todas as ações feitas neste domínio no território. Sejam políticas públicas ou privadas. E deu um exemplo simples: Se uma entidade quiser apresentar uma candidatura a apoios financeiros para abrir uma determinada valência um dos documentos que vão exigir é o Plano de Desenvolvimento Social.

As jornadas sociais de Abrantes contaram com a presença de Renato Bento, diretor do Centro Distrital de Segurança Social, que evocou, por mais que uma vez, a necessidade de as instituições poderem trabalhar em rede e terem de contrariar a lógica até aqui existente de “cada um tem a sua quintinha, da capelinha”. Disse o responsável pela Segurança Social no distrito de Santarém que o trabalho em parceria e em rede, e não sobreposição de intervenções, “seremos capazes de implementar todas as medidas políticas”, e acrescentou que de nada servem “intervenções sociais se não conseguirmos trabalhar em equipa e em rede para aplicar as medidas de intervenção públicas”.

Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes, destacou a realização das Jornadas Sociais e deixou a certeza de que a palavra “colaboração” é uma palavra que tem de entrar no nosso léxico porque “é uma palavra chave no sucesso de qualquer organização”.

As Jornadas Sociais de Abrantes continuaram depois com um Conselho Local de Ação Social (CLAS) aberto ao público, em colaboração com a Rede Europeia Contra a Pobreza. À tarde Patricia Matos, jornalista da TVI, vai moderar uma conversa em torno dos projetos do programa FinAbrantes, nomeadamente as associações Cem Rumos e Clube Orientação e Aventura.

Amanhã, quinta-feira, “Colaborar na Promoção do Desenvolvimento Social Local”, “Saúde com colaboração” e “Técnicas e dinâmicas da promoção do bem-estar” serão as temáticas a abordar nestas jornadas que contarão com o encerramento por volta das 12.30 horas.