Pesquisar notícia
quinta,
13 mai 2021
Concelhos

Abrantes: Câmara atribui 160 mil euros a nove freguesias para Kits de combate a incêndios (C/ÁUDIO)

9/04/2021 às 13:56
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara Municipal de Abrantes vai reforçar em 2021 o apoio aos kits de primeira intervenção contra incêndios das juntas de freguesia do concelho. Neste sentido, o executivo municipal aprovou esta terça-feira, dia 6 de abril, o apoio de 160 mil euros para celebração dos necessários contratos interadministrativos com as nove freguesias que este ano vão integrar este dispositivo. De referir que a verba deste ano representa mais 35 mil do que a disponibilizada em 2020.

Estes contratos visam o apoio às Juntas de Freguesia de Abrantes e Alferrarede, Aldeia do Mato e Souto, Bemposta, Mouriscas, S. Facundo e Vale das Mós, Rio de Moinhos, Tramagal, Alvega e Concavada e Carvalhal para que tenham, no período do verão, a viatura com o kit de primeira intervenção em prontidão, assim como a sua tribulação. De referir que este ano as freguesias de Alvega e Concavada e Carvalhal integram pela primeira vez este dispositivo.

Nesta altura apenas as freguesias de Fontes, Martinchel, Pego e S. Miguel/Rossio não integram o Dispositivo Especial Contra Incêndios Rurais (DECIR).

De acordo com o funcionamento destas equipas, cabe ao comandante dos Bombeiros Voluntários de Abrantes a integração das mesmas nas ações de prevenção ou combate a fogos rurais, sendo que em dias de alerta laranja ou vermelho as mesmas são pré-posicionadas no seu território por forma a acorrer a qualquer ignição que ocorra.

De referir que estas equipas constituem, e por provas dadas no anos anteriores, para a existência de uma resposta mais rápida e eficaz no ataque inicial aos incêndios até que cheguem as equipas de Bombeiros, Força Especial de Proteção Civil, GNR ou meios aéreos.

Estas equipas estão equipadas com maquinaria, mangueira e tanque com capacidade de 600 litros de água, estando também apetrechadas com rádios de comunicação com ligação ao sistema SIRESP por forma a integrarem os dispositivos das ocorrências.

Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes disse que “num território tão extenso, como o de Abrantes, precisamos de ter dispositivos em vários pontos do concelho para que, num processo de ignição de um incêndio, possamos ter condições de ataque rápido, na salvaguarda de pessoas e bens”.

O autarca sublinhou ainda que “os kits de primeira intervenção funcionam também como instrumentos de vigilância, desempenhando um papel dissuasor e informativo, junto da população”.

Manuel Jorge Valamatos, presidente C M Abrantes

Ainda nesta reunião do executivo abrantino a Proteção Civil Municipal apresentou a proposta de deliberação para a declaração de utilidade pública e constituição de servidões administrativas das faixas gestão de combustível da rede primária.

E isto quer dizer que naquilo que estão as estradas alcatroadas do concelho de Abrantes o estado vai “tomar conta” da faixa de 10 metros junto a essas estradas fazendo a sua limpeza. Ao que a Antena Livre sabe este ano, pela primeira vez, o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) vai indemnizar os proprietários cujos terrenos integrem estas faixas.
E é neste quadro que há a necessidade de o Município declarar a utilidade pública destas parcelas que vão totalizar 1 900 hectares em todo o concelho.

Manuel Jorge Valamatos, presidente C M Abrantes

Ainda de acordo com fonte ligada ao processo o serviço municipal de Proteção Civil de Abrantes está já no terreno a falar com os proprietários dos terrenos onde as máquinas vão entrar. Nesta altura a primeira fase contempla as intervenções em Matagosa/Matagosinha, S. Domingos, Fontes/Colmeal e ainda Atalaia/Souto/Bioucas.
Depois seguir-se-á uma segunda fase no território da Zona de Intervenção Florestal (ZIF) de Aldeia do Mato.

Num edital da Câmara Municipal de Abrantes, de 4 de março, pode ler-se que: “Assim, considerando a urgência das intervenções previstas, ficam desta forma, notificados todos os titulares de prédios rústicos, ou seus representantes, abrangidos pela Rede Primária de Faixas de Gestão de Combustível, para entregar nos serviços municipais, as respetivas autorizações para a realização das intervenções em causa, no prazo de 15 dias úteis a contar da publicitação do presente edital. Findo o referido prazo, o ICNF, IP, ou empresa por ele mandatada, avançará para a sua execução das operações florestais previstas.”

Ainda no mesmo edital municipal é referido que: “Atendendo à natureza e objetivos subjacentes aos trabalhos a realizar, os quais visam essencialmente a proteção de pessoas e bens e a defesa da floresta contra incêndios, implicando a sua realização em terrenos privados, apela-se à compreensão, empenho e colaboração de todos os envolvidos neste processo.”

Esta intervenção de limpeza é da responsabilidade do ICNF, embora seja o a Proteção Civil Municipal de Abrantes que esteja a contactar com os proprietários florestais.

Zonas em que será feita a primeira fase da limpeza das faixas de gestão de combustível