Pesquisar notícia
terça,
28 set 2021
PUB
Concelhos

Abrantes: autarquia vai distribuir 25 mil máscaras sociais e cria programa de ajuda alimentar (C/ÁUDIO)

13/05/2020 às 00:00
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

A Câmara Municipal de Abrantes está a preparar-se para distribuir 25 mil máscaras reutilizáveis, ou comunitárias, pela população do concelho. A informação foi avançada pelo presidente da Câmara Municipal que revelou ter adquirido este pacote no âmbito de uma compra mais alargada da Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo.

Manuel Jorge Valamatos disse à Antena Livre uma parte destas máscaras já chegaram e que já foi feita uma reunião com as juntas de freguesia e com os serviços do município para organizar a distribuição destes equipamentos de proteção individual. “Adquirimos esta quantidade, mas poderemos vir a adquirir mais se verificarmos que tal será necessário”, diz o presidente da Câmara de Abrantes que indica ainda que algumas freguesias fizeram máscaras sociais. E acrescenta que o Banco do Voluntariado lançou o desafio para quem quisesse ajudar a “costurar” máscaras sociais e teve uma adesão que 46 pessoas. A Câmara forneceu os materiais (tecidos e elástico) e as voluntárias estão a fazer, ou já fizeram, as máscaras para distribuir pela comunidade.

Já a vereadora Celeste Simão indicou que das 46 voluntárias que aderiram a esta iniciativa nove já entregaram as máscaras. E indicou de onde são as voluntárias: Abrantes, Alvega, Bemposta, Fontes, Martinchel, Mouriscas, Rio de Moinhos, S. Miguel do Rio Torto e Rossio, Tramagal, S. Facundo e Vale das Mós. As freguesias que não estão na lista dinamizaram-se localmente “com as suas gentes, para fazer este trabalho”, disse a vereadora. Foi o caso da freguesia do Pego como a Antena Livre já noticiou.

Quanto à distribuição das máscaras sociais deverão começar a ser feitas esta semana em todas as freguesias do concelho, já que o objetivo é chegar a todos os cantos do concelho.

Manuel Jorge Valamatos sobre a distribuição de máscaras sociais 

Serviços sociais de Abrantes não pararam no confinamento

Os serviços de ação social da Câmara Municipal de Abrantes não pararam no período de confinamento e dos Estados de Emergência decretados pelo governo. No sentido de dar resposta social a todas as necessidades os serviços andaram permanentemente no terreno para identificar as necessidades.

Segundo a vereadora com o pelouro da ação social, Celeste Simão, ao longo de mais de um mês os serviços receberam qualquer coisa como 313 telefonemas para apoio na aquisição de produtos alimentares ou farmacêuticos e houve ainda mais 118 contactos de articulação institucionais com entidades que trabalham nestas áreas no concelho.

No primeiro mês foram feitos muitos pedidos para a compra de produtos alimentares. Quando começou o desconfinamento a vereadora indicou que se registou uma grande oscilação que levantou algumas preocupações, mas nos últimos dias o serviço voltou ao registo inicial.

Quanto à equipa de multidisciplinar de apoio social que foi criada para dar resposta às necessidades tem feito muito trabalho no apoio parental. Explicou a vereadora que a equipa tem feito um conjunto de propostas de atividades que ajuda os pais e filhos a viver estes tempos difíceis e adiantou ainda que todas as quintas-feiras, antes do fim de semana, têm sido enviados, para as associações de pais, emails com propostas de atividades para as famílias, nas mais variadas áreas.

Programa de ajuda alimentar em preparação

A vereadora da ação social explicou ainda que o serviço, nesta altura, assenta naaquilo que é a comissão executiva da Rede Social do concelho, já que é ali que estão representadas todas as entidades ligadas a esta área. Celeste Simão vincou que estão a ser fornecidas as refeições às crianças do concelho cujas famílias têm necessidade de apoios financeiros. Ou seja, este apoio é concedido através das listas dos beneficiários dos subsídios escolares. E estes apoios têm sido concretizados, explicou a vereadora, através do fornecimento de refeições completas ou de alimentos para as famílias poderem confecionar as refeições.

O vereador eleito pelo Bloco de Esquerda apresentou a proposta de alargamento destes apoios a todos os beneficiários de subsídios escolares, independentemente dos escalões, e também acrescentar o pequeno-almoço e lanche, já que em muitos casos, há crianças que só fazem as refeições da escola, por dificuldades das famílias.

Celeste Simão acrescentou ainda que tem na Rede Social a representante da Segurança Social que tem as questões do Rendimento Social de Inserção, a representante do Banco Alimentar contra a Fome, e Cruz Vermelha Portuguesa, através do núcleo de Abrantes que também fazem distribuição de cabazes alimentares. “Estamos a fazer um trabalho de identificar as carências alimentares no concelho”, explicou a vereadora ao mesmo tempo que anunciou que está quase pronto um programa de ajuda alimentar para articular com todas as entidades. “Não conseguimos prever tudo neste momento, é possível que venham muito mais casos no futuro, porque temos de avaliar as famílias como um todo, mas a questão da alimentação é crucial”.

Este programa ainda não está aprovado, sê-lo-á brevemente, mas algumas coisas já estão em marcha. “Aos alunos do escalão A, dos subsídios escolares, onde não era possível fazer chegar as refeições completas transformámos em cabazes de alimentos”, disse a vereadora que indicou ainda que os alunos que beneficiam do escalão B, dos subsídios escolares, também já estão a receber este apoio nos mesmo moldes.

Ainda segundo a vereadora este programa de ajuda alimentar vai ajudar as famílias que começam a ser sinalizadas com necessidades alimentares.