Pesquisar notícia
terça,
11 mai 2021
Concelhos

Abrantes: Açude no Tejo tem uma comporta com um rasgão (C/ÁUDIO)

23/04/2021 às 11:12
Partilhar nas redes sociais:
Facebook Twitter

O açude no rio Tejo em Abrantes tem um “rasgão” numa das comportas insufláveis que não implica, para já, nenhuma medida de emergência até porque com caudais normais o espelho de água não sofre muitas alterações.

A informação foi avançada pelo vice-presidente da Câmara de Abrantes na última reunião do executivo municipal, realizada na terça-feira, dia 19. O vereador começou por informar que o açude tinha sido desinsuflado no fim de semana, fazendo com que o caudal do rio fosse muito baixo. Foi uma ação concertada com a EDP no sentido de poder haver uma inspeção às comportas uma vez que tinha sido detetado um problema na comporta do segundo vão.

De acordo com João Gomes, na monitorização que é efetuada pelos serviços da autarquia foi detetado que o compressor da comporta do segundo vão estava a injetar ar em permanência o que não é normal.

Nesse sentido os serviços da autarquia agendaram uma inspeção com técnicos da empresa alemã que tem a responsabilidade da manutenção deste sistema. E nesse trabalho o vereador indicou que foi detetado um “rasgão” nessa comporta, de cerca de 70 centímetros, que estava a provocar essa perda de ar.

Na explicação o vereador revelou que esta situação não tem nada a ver com a anterior e que levou a que o açude estivesse desinsuflado ou fora de serviço entre 2014 e 2018. João Gomes vincou que esse problema tinha ocorrido no vão três e este rasgão foi detetado no vão dois. O vereador indicou ainda que aguarda um relatório técnico para poder perceber de que forma e quando será feita a reparação.

Para já, este “rasgão” não trará grandes implicações ao espelho de água.

João Gomes, vice-presidente da CM Abrantes

Manuel Jorge Valamatos, presidente da Câmara de Abrantes, fez questão de indicar que este “rasgão” não teve a ver com nenhum ato de vandalismo como já aconteceu anteriormente. Depois indicou ainda que o rasgão fica localizado junto aos parafusos e que é preciso agora avaliar a forma de como será feito o trabalho de recuperação deste “rasgão”.

Manuel Jorge Valamatos disse ainda que nota-se bem, quando o açude está desinsuflado (em baixo), que são muito baixos. Principalmente ao fim de semana.

O presidente da Câmara de Abrantes diz que durante muitos anos falou, sozinho, da falta de água. E sem o açude, com os caudais baixos, “ficamos com uma ribeirazinha sem jeito nenhum”. E com estes baixos caudais não há atividade desportiva ou de lazer no rio.

Manuel Jorge Valamatos, presidente da CM Abrantes

Armindo Silveira, vereador eleito pelo BE defendeu a necessidade de existência dos caudais ecológicos e referiu os problemas "gravíssimos" com a regulação para produção de energia elétrica. No que diz respeito ao açude de Abrantes deixou o comentário de que "começa a ser demasiados problemas". E voltou a referir-se ao projeto Tejo que prevê a construção de mais uma série de açudes no rio Tejo.